Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Incompetência! Propositada ou ingénua?

Perder ou ganhar faz parte do desporto, e é de salutar rectidão saber aceitar tanto um facto como outro, com a dignidade inerente ao desportivismo.

A equipa de Basquete do Benfica foi ontem à noite derrotada no seu pavilhão para a taça Euro-Chalenge. Poderia aceitar esta derrota como algo natural, dadas as ocorrências do jogo, mas não o vou fazer, porque isto de ser recto não quer dizer que me curve perante a injustiça em prol do que um resultado, uma exibição, possam fazer transparecer. Passo a explicar:

A Equipa de Basquete do Benfica nos últimos cinco dias, foi obrigada a disputar quatro jogos, pois a Federação de Basquete achou por bem agendar a competição da Supertaça para este último fim de semana, fazendo vista grossa ao facto de jogarmos, na terça-feira, fulcral cartada para as nossas aspirações nesta competição europeia. O pior, é que este tipo de comportamento por parte deste órgão não é virgem.

Pergunto eu, se não seria do interesse não só do Benfica, como do país desportivo, criar todas as condições para que fosse possível o sucesso dos clubes e atletas portugueses em provas internacionais, pergunto eu se isso não elevaria e espalharia a portugalidade pelo mundo? Pergunto eu que interesses poderão ter aqueles que com o poder e dever de serem competentes e zelar pelos superiores interesses nacionais, não o fazerem, diminuindo o desporto nacional, na sua já diminuta dimensão.

E isto não é só no Basquete!

É no Hóquei, no qual a federação optou por não apoiar uma equipa portuguesa para que esta jogasse em território luso a fase final de uma taça Europeia, algo que aumentaria as possibilidades de vitória na competição...

É no Atletismo, que não se regula, que não acarinha e não apoia os seus atletas;

Etc

Por fim, tudo isto poderia soar a estranho, não estivesse a Federação do desporto mais importante do país a viver à margem da lei, dando o mote á rebaldaria e á cagada cósmica que neste momento se observa no panorama federativo-desportivo nacional, assim tudo o resto até parece peanuts. Mas não são.

O exemplo vem de cima.

1 comentário:

Observador disse...

Não estranho esse tipo de atitudes.
Ando no desporto desde os 18 anos e tenho visto muita coisa.
E ainda hoje, continuando ligado ao desporto, fico abismado com tanta incompetência, para não dizer maldade...