Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Suficiente

O Benfica iniciou o jogo ontem da forma mais desejável. Mandando. Contra equipas de menor dimensão que se estreiam nesta competição, convém não dar muitas esperanças pois estas, e a história prova este facto, galvanizam-se e ganham confiança, começando até a achar que podem fazer o brilharete.

Apesar do total controlo do jogo, não estávamos a conseguir entrar com qualidade e em superioridade pelos caminhos do golo. Os romenos esses, abdicaram do ataque fazendo por vezes lembrar as performances de algumas equipas do campeonato português quando se deslocam à Luz. Justiça lhes seja feita, os romenos conseguiam quase sempre criar situações de superioridade defensiva pelo que nunca foi fácil a penetração, e daí talvez se explique em parte as poucas oportunidades de golo que criámos e também a inclusão de Saviola no onze titular. Era mais um para atacar e abrir espaços com as suas movimentações.

Creio que não jogámos a um ritmo elevado, e isso também poderá ter pesado na performance geral, o adversário mostrava-se inofensivo, mas nem por isso entramos em grandes empreitadas vertiginosas pelo gramado fora, tudo em nome de uma sobriedade que mais do que compreender, deve-se aceitar.

Destaques:

Artur: Não me lembro de num jogo ter visto um guarda-redes jogar tanto com os pés. Esteve quase sempre bem nesse capítulo. Foi chamado a intervir três vezes e em todas protegeu o templo.

Witsel: Correu muito para todo o lado, é dificílimo retirar-lhe a bola e quando a entrega fá-lo com critério e com qualidade.

Gaitán: Nada nele é previsível muito menos mecânico, não entra em pré-concepções daquilo que se ache que deve fazer, não é de correrias desenfreadas pelos flancos a não ser que o jogo assim lhe dite, é cerebral e grande artista. Ontem, até à sua substituição, fez uma exibição de grande qualidade cheia de pormenores de classe. Não acreditam? Revejam o jogo!

"Gordito" César: Não começou bem o jogo, mas foi crescendo à medida que este se desenrolava, embora ainda tenha tido algumas falhas. No golo faz uma recepção plena de classe que lhe permite facturar. Mais um bom remate na segunda parte para o guarda-redes adversário brilhar.

Para finalizar:

Fizemos o que nos competia, fomos seguros e só podemos lamentar não termos aumentado o score. Está aí a primeira vitória do Benfica de JJ fora na Champions, a primeira de muitas, espera-se!

Continua agora a nossa excitante caminhada, o cliente que se segue é o Paços, não deixemos de mandar mais um sinal de força aos nossos adversários!

Carrega Benfica!

1 comentário:

Observador disse...

Um aspecto que sempre me agradou no Artur é a facilidade e tranquilidade com que joga com os pés.
Apesar de uma noite com pouco trabalho, quando foi preciso estava lá.
Negou o empate ao minuto 90.

Gaitán: É isso mesmo. A imprevisibilidade é uma das suas armas. Uma delas. Porque tem mais, muitas mais.

Witsel: Um jogo em esforço. Olhos na bola e excelente leitura do jogo.

Bruno ("Gordito") César: Não constitui uma surpresa.
Por alguma razão lhe chamavam o "chuta chuta".
E eu acrescento. Chuta chuta, joga joga, marca marca.

Vem aí o Paços de Ferreira.
É forçosa uma abordagem séria ao jogo.

Dia 1 de Outubro, às 20.30 h na TVI