Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

sábado, 19 de novembro de 2011

Fenómenos

Mais um passo em frente na Taça de Portugal às custas da Naval num dia em que não se jogou futebol.

Pouco há a dizer sobre o jogo e creio que a análise feita pelo Jesus retrata aquilo em que o jogo se tornou, num embate equilibrado por factores externos no qual poucas seriam as pessoas que não estivessem já a pensar num prolongamento. Mas o Benfica tem um jogador de nome Rodrigo, que tinha outras ideias e com o seu golo privou o Benfica de mais meia-hora de desgaste intenso, obrigado miúdo!

Destaques

Garay: Nunca se deixou ultrapassar, quer por adversários, quer pelas fintas do terreno.

Rubén: Grande jogo do polivalente jogador, ontem fez três posições e foi absolutamente competente em todas. É ele que marca o livre do qual resulta o golo do jogo e teve um grande remate que merecia golo só para premiar a boa exibição do faz-tudo.

Rodrigo: Entra em campo de pistola em riste e dedo no gatilho, e mais uma vez à primeira oportunidade fez o golo. Nasce um ídolo na Luz?

Para finalizar:

Pela terceira vez nesta temporada enfrentámos um fenómeno externo anormal que condicionou o nosso jogo. Primeiro o nevoeiro no Nacional, depois o apagão em Braga e agora o dilúvio na Figueira e saímos vivos de todos esses, algo que pode querer dizer muita coisa...

Carrega Benfica!

1 comentário:

Observador disse...

Quer dizer que há vontade, querer, força.
O que e muito bom para quem luta contra vários adversários.