Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Hoje fomos Equipa!

Após uma semana de má memória, muita desilusão e boatos, que não dignificaram em nada a nossa linda história, interessava ver como reagiria a equipa dentro de campo e essa atitude foi a melhor possível, pois esta terá sido uma das melhores exibições desta época.

Solidariedade e Equilíbrio parecem-me ter sido as palavras-chave deste jogo, ás quais não poderão ser dissociadas a suposta conversa de balneário que terá permitido expulsar alguns demónios interiores e acertar agulhas, o discurso de Jesus (o primeiro coerente desta época) a se culpabilizar pelas derrotas dando desse modo o peito ás balas e as palavras do Presidente na inauguração da casa do Benfica de Mira, fazendo tabula rasa da infeliz entrevista que saiu sexta-feira no jornal do Clube.

Quanto ao jogo propriamente dito, creio que foi muito benéfica a entrada de Amorim (Surpresa) no onze, por troca com Sálvio. Com jogadores como Sálvio e Gaitán a jogar simultaneamente nas alas perdemos capacidade de luta no meio campo, por isso um deles deverá ser sempre sacrificado “na minha óptica” por um médio mais interior, César ou Rúben, sendo que deste último só podemos lamentar a lesão que o afectou e afecta desde o início da época, pois teria dado muito jeito em jogos passados.

Fizemos uma boa exibição durante 70 minutos sem que no meio destes não devamos nos escusar de agradecer á sorte por aquela bola do Aveiro não ter entrado, e pouco depois termos feito o segundo golo, e que grande golo, que quebrou um pouco o ímpeto Aveirense e elevou o nosso ego, chegando pouco depois ao terceiro tranquilizador golo num belo movimento do Cardozo a partir os rins ao (glorificado pelo comentador) jogador Aveirense Hugo. Posto isto o Benfica desacelerou, facto para o qual deverá ter contribuído a desgastante viagem (em todos os sentidos) a Israel e porventura as substituições, acabando por sofrer um golo numa altura em que já tínhamos o jogo controlado.

Saudar a linda exibição do Nosso Cardozo que com dois golos e uma assistência foi o homem do jogo, saudar também o regresso aos golos do Javier Pedro e notar que o seu entendimento com Takuara não está esquecido.

Menção honrosa para a resposta de Jorge Jesus ao esfomeado por polémica e execrável “jornalista” da estação televisiva que transmitiu o jogo, atitude que deveríamos adoptar mais vezes sempre que sentirmos o nosso nome posto em causa.

Sexta-feira há mais!

Carrega Benfica!

1 comentário:

Observador disse...

Para não me repetir, deixo para análise o que escrevi no "post" anterior.

E acrescento: o Benfica está a crescer.