Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

domingo, 6 de março de 2011

Francisco Javier García Fernández

 Este é provavelmente o jogador que mais admiro no presente.

Com um percurso simpático em Espanha, alguns golos marcados e presenças assíduas nas Selecções mais jovens, este miúdo convence de dia para dia pelo seu carácter e espírito de luta com que se entrega no jogo.
Muitos condenaram uma das contratações mais caras do historial do Benfica. Tal como bons portugueses que somos, desconfiados e prontos a deitar abaixo qualquer assunto ou situação, penso que todos nós pensámos que seria um risco a contratação de um puto do Real Madrid B por tantos milhões muito devido à posição que ocupa no terreno (e ao efeito placebo de um qualquer Balboa desta vida). 


Para um trinco era claramente uma aposta arriscada. 
Eu pessoalmente desde o primeiro momento que o vi com o manto sagrado vestido tirei as minhas dúvidas.


O seu sorriso e alegria por abraçar um novo desafio conquistou os dirigentes.
 
E os adeptos.
 Já tive o prazer de estar com ele e lhe dizer que é mesmo o maior, mais uma vez sorriu e apertou-me a mão.


A sua raça e força são características sui generis da sua personalidade futebolística.


O jogo de cabeça é outro dos seus pontos fortes.


Nos momentos em que a equipa tem mais dificuldade em marcar um golo com os seus jogadores mais avançados, lá vemos o Javi a avançar no terreno e ajudar os seus colegas a facturar mais e mais e mais.


Mais um golo. Mais uma explosão de alegria.


Se isto não é amor pela camisola que veste, não sei o que será.
Esta imagem marcou-me pessoalmente.
Aqui sim vi um Javi a dar mais do que tinha, a pôr a sua própria saúde para segundo plano.
Isto sim é um jogador à Benfica!


O descanso do guerreiro após mais 90 minutos de luta.
E pelos vistos mais uma vitória para o Maior do Mundo.


A alta rotação é outra das características do seu jogo, é raro vê-lo desistir de um lance.
Entrega-se de corpo e alma. 
Sempre.


A celebração dos seus colegas. 
Sempre com momentos de união e respeito.
E Felicidade.
Parece-me óbvio que este Javi Garcia conquistou os adeptos. 
Resta-me desejar as maiores felicidade e o desejo de o ver por muitos anos a jogar pelo Clube que eu amo e que, pelo que vimos no final da época do ano transacto, ele também ama!

Força Javi. És o maior!

2 comentários:

Observador disse...

Há uns dias cruzei-me com o Javi no Almada Fórum.
Muita gente olhava, como se estivesse na presença de alguém de outra galáxia, tipo ET.

Javi, com a sua simplicidade, distribuia sorrisos e alguns beijinhos pelos mais jovens.

A sua esposa assistia. Deliciada pela simpatia de quem os rodeava.

E eu parei. Inevitavelmente. Não porque visse o tal "ET" mas porque quis confirmar o que já conhecia deste senhor.
Aproximei-me dele, cumprimentei-o (já o tinha conhecido no Estádio), estendi-lhe a mão e recebi um caloroso aperto de mão.

Como este senhor é enorme. No físico, na forma de jogar e no intelecto.

RSM disse...

Provavelmente, o jogador mais injustiçado do momento em Portugal!

Mas, só há um caminho "levantar a cabeça" e honrar o grandioso nome do nosso clube.

VIVA O SPORT LISBOA E BENFICA!!!!