Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

sábado, 7 de maio de 2011

Pensar o Futebol

Vieira não se vai demitir nem convocar eleições antecipadas nas anunciadas declarações da póxima segunda-feira.

Com isto em mente e sabendo que as coisas, tal como elas estão, não podem continuar, urge tomar medidas que dotem a estrutura do futebol de maior competência e competitividade.

A meu ver, isto poderia ser conseguido com a criação de um novo cargo na estrutura do futebol do Benfica, o cargo do Director de Futebol.

O homem para este posto deverá ser português, Benfiquista insuspeito, low-profile, conhecedor do mercado, conhecedor do futebol, e da realidade deste em Portugal.

Por ele deverá passar a decisão das contratações, claro está, em conjunção com o treinador, com o qual deverá estabelecer previamente o protótipo do jogador, bem como o estilo de jogo e táctica(s) a utilizar pela equipa. Também muito importante será a decisão das vendas a realizar, projectando-as no início de cada época, contratando então os susbtitutos atempadamente, fazendo com que estes estejam já ambientados ao clube e ao campeonato quando se tornarem os naturais titulares.

Deverá coordenar toda a comunicação da estrutura do futebol, construindo uma cartilha obrigatória para todos os profissionais da secção assente no discurso sério e directo, para que não mais andemos às costas dos discursos da basófia (J.Jesus) ou dos excessos de humildade (Quique).

Deverá também servir de ponte entre o futebol e o presidente, sensibilizando-o para as carências da equipa, servindo de cabeça filtrante para as ideias não só do treinador como do departamento de prospecção.

Com a criação deste cargo, partindo do pressuposto que a pessoa escolhida seja competente, anula-se a comumente criticada interferência do presidente nos destinos do futebol. A este, e apesar das inegáveis boas contratações que fez (Simão, Di Maria, Cardozo, etc), faltou-lhe sempre saber ter uma gestão eficaz sobre os timings das saídas e entradas de jogadores importantes, fazendo depois avultados investimentos em atletas de futuro, olvidando o essencial que é o presente.

Anular-se-á também o papel de Rui Costa. É pena que não lhe tenha sido concedida outra oportunidade, e que lhe tenham tirado o tapete tão "madrugadoramente". Tivessem os Benfiquistas tanta paciência com o presidente quanto este teve para com o Rui e provavelmente já tinhamos outro presidente há algum tempo. O Rui tem méritos, tem derrotas próprias de quem está a aprender e vitórias, pequenas, mas essenciais vitórias, chamo a atenção para o facto de no Benfica, apesar de toda a desilusão, não haver declarações de descontentamentos na praça pública, de o balneário estar fechado e de haver um generalizado respeito pela entidade patronal por parte dos jogadores e equipe técnica, e essa terá sido um porventura, uma pequena grande vitória do Rui, entre outras. Poderá ter nova oportunidade?

Neste sentido, hoje saíu a notícia de que Humberto Coelho poderá integrar a estrutura do futebol. Não me parece ser o homem certo, falta-lhe o low profile e o conhecimento de mercado.

O que chateia em tudo isto, é a repetição do erro, todos os anos. Há muito que se sabe de uma forma global, que Vieira não tem capacidade nem conhecimento para as questões do futebol, e cansa que todas as pré-épocas vejamos Benfiquistas, também eles cansados da insistência na estupidez, fazerem projecções, apresentarem ideias apaixonadas e boas, na provável vã esperança que alguém mude as coisas para que estas façam sentido, nestes Benfiquistas me incluo e espero que no fim da próxima época, esteja a falar de coisas bem mais positivas.

Viva O Benfica!

12 comentários:

Observador disse...

Luis Filipe Vieira nem sequer gosta de futebol.
Exerce as suas funções por frete, porque tem que ser.

Rui Costa será o homem certo mas num lugar diferente. Não o que ocupa presentemente.

Humberto Coelho - que tem sido visto a rondar LFV - não é, de perto nem de longe, a figura adequada.

Todos os treinadores têm o seu estilo próprio. Quer na componente técnica quer na forma de relacionamento com o exterior.

É preciso não esquecer que a próxima época está aí, a dois passos, e é urgente começar a pensar nela.

Oxalé a conversa de LFV, aprazada para amanhã, não saia uma conversa em família ou um discurso tipo Sr. Silva.

Queremos mais, muito mais.
E já agora, melhor.

Observador disse...

Of the topic:

A Taça CERS (hóquei em patins) é nossa.
Hoje, vencemos os espanhóis do Vilanova, por 6-4.

Parabéns, Benfica!

José Lemos disse...

http://o-futeboltotal.blogspot.com/2011/05/benfica-o-caminho.html

ToElGordo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ToElGordo disse...

Caro Observador, de segunda feira nem sei o que esperar, mas sei o que, tal como você, não quero ouvir.

Sei e compreendo que cada treinador tenha a sua maneira de comunicar, mas estão por provar os benefícios (não alheios) da maneira como o faz.

Quanto ao Hóquei, foi muito bem, tinhamos muito melhor equipa que o adversário de hoje e isso reflectiu-se, se bem que continue a achar que esta equipa utiliza muito o jogo individual, quando poderia e deveria jogar mais com o colectivo, não sei se é da mesma opinião.

Caro José, a minha maior dúvida neste momento é sobre o posicionamento e respeito existente para com o Rui Costa quando estão em causa questões sobre as contratações, não sei se o ouvem ou se sequer tem voto na matéria.

De facto o discurso do Jesus é já patológico e requer revisão breve, sob a pena de continuramos a dar armas para a motivação dos adversários. Mesmo depois de uma época em que errou e muito, em muitas coisas, reincidiu no discurso da basófia.. Não sei o que faz o João Gabriel no Benfica, para responder a comunicados de anormais e desmentir capas de jornais está a blogosfera cheia de individualidades.

As questões do Urreta e do susbtituto do Ramires creio serem mais do pelouro do presidente, que prometeu ao treinador jogadores para essas posições, jogadores que até hoje não chegaram..

Mas águas passadas só movem os moinhos que as deixarmos mover, há que planear a próxima época minuciosamente e dotar o plantel de uma estrutura forte, em simbolismo, em qualidade e acima de tudo em competitividade.

Observador disse...

Concordo consigo, ToElGordo.

Aproveito para dizer o que sinto em relação a outra modalidade em que costumamos dar cartas e que esta época não tem estado ao seu nível habitual: o andebol.
Aí, o treinador José António Silva necessita de ser afastado.
E uma pequena limpeza do balneário cairá como sopa no mel.

ToElGordo disse...

Sim, o Andebol tarda em se afirmar, não sei se a equipa precisa de uma limpeza de balneário se mesmo de uma limpeza da equipe técnica.

Sobre José António Silva diz-se que sabe muito de Andebol, porém os resultados tardam em aparecer, a equipa falha em momentos cruciais contra equipas inferiores. Por vezes parece existir um certo défice de motivação e de garra em certos jogos, algo que terá de ser directamente associável ao treinador, que parece incapaz de pegar animicamente na equipa e de ter uma atitude menos passiva no banco. Enfim, vamos ver como corre esta final Europeia.

kispuz disse...

Não e poxima.....
E PRÓXIMA
vamos começar a ser exigentes no português aqui utilizado ou as críticas são só para os outros ....

como se vê e facil criticar quem quer ser iluminado e com dom de ter um umbigo diferente ...

kispuz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kispuz disse...

Observador.

O observador!...Oxule tens tu nos pés.

Oxalá queria dizer! Não era...

Oxalá seja castigado com muitas conversas em família, pois e sinal que vives no mundo das ideias, quando isso te faltar não a Salazar que te entretenha nem silva que te de lições pois és mais um iluminado pela luz das trevas...

PS: oxalé Deus de entendimento aos seres maliciosos, pois é deles o reino do céu..

O treinador do andebol foi ameaçado de morte ele e a sua familia se você não sabe aprenda ou não se meta onde não pode meter o nariz com mel, pois pode cheiral a fel.

ToElGordo disse...

Oh oh, já cá faltava um mija-na-escada! Parece-me exagerado que haja tanta preocupação com a palavra próxima e oxalá, quando nem se consegue colocar um acento na letra e. É que é é diferente de e, tal como a é diferente de há. Isso deve ser derivado da nova política do Sócrates, não há chumbos para ninguém para que os papás e os filhinhos não entrem em depressão..E depois é ver isto.. Sim, o J.A. Silva teve um inicio conturbado, mas era já tempo de fazer um pouco melhor. Podemos de facto todos errar, é da natureza humana que aconteça, porém o erro reveste-se de maior gravidade quando somos pagos para que não o cometamos, e aqui neste blog ninguém recebe por opinar ou comentar.. Fiz-me entender?

Observador disse...

ToElGordo

E de deixassemos de dar atenção aos medíocres da nossa praça?

O que estes pequenotes querem é protagonismo.