Directamente de Palermo, um olhar Encarnado e Vigilante sobre a actualidade do Nosso Clube e sobre o futebol Português em geral.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Fuga ao Destino

Quando, ao minuto 50 o Feirense faz o golo temi o pior. Num campo pequeno com o relvado a dar de si, com o Feirense super motivado, com as oportunidades até então falhadas, ou melhor, negadas pelo guarda-redes adversário e com o Benfica sem conseguir pegar no jogo era difícil ser optimista. Nesta altura o Benfica teria de rapidamente chegar ao golo e fê-lo com a ajuda do defensor alheio que involuntariamente introduziu a bola na sua própria baliza. Este foi o golpe no destino, o ponto de viragem, a pontinha de sorte que precisávamos para sair da Feira a sorrir. Seguidamente, Jesus experiente, dá armas à equipa fazendo entrar Nolito e Gaitán para o lugar dos desinspirados Aimar e Bruno César e a dupla substituição surtiu o seu efeito, pois a partir daí o Benfica passou a jogar melhor e acabou por chegar à vantagem que conservou até ao fim do desafio.

Destaques:

Garay: Bela exibição do argentino, varreu tudo o que pode do quintal e merecia melhor acompanhamento por parte do Emerson.

Maxi: Durante grande parte do tempo de jogo foi o desequilibrador do Benfica, nem sempre bem sucedido mas sem nunca desistir, isso é para os fracos.

Witsel: Na direita foi mais ou menos, sobretudo por aquilo que não podia emprestar ao centro, no entanto protagoniza nesta posição uma bela jogada de entendimento com Maxi que ia resultando no primeiro golo do Benfica. Melhor quando voltou ao centro, o seu habitat natural.

Rodrigo: Trabalhou muito e criou muitas oportunidades com os seus movimentos de desmarcação, merecia ter marcado um golo por tudo o que fez. Na próxima jornada espero que seja premiado, várias vezes! É sobre ele que é cometido o penalti que nos põe na frente do marcador. O melhor em campo!

Para finalizar:

O Feirense queixa-se dum golo mal anulado por pretenso fora de jogo. De facto não há fora de jogo no lance, mas há uma falta clara de pé em riste sobre um jogador do Benfica, e não sei se não terá sido isso que o árbitro assinalou, mas a histeria dos dois miseráveis comentadores da TVI e de todos os outros tristes aziados anti-Benfiquistas é enorme, procurando em cada lance uma história para menorizar os feitos desta equipa. É o túnel da Luz, revisitado.

Contudo compreendo a azia geral, afinal "este" era o jogo em que o Benfica ia finalmente perder, porque o campo era pequeno, porque os porcos perderam lá pontos e porque os tristes só ganharam com ajuda do apito. No fundo toda a azia só vem provar a constatação de que estamos fortes e que vão ser precisos mais do que uns esquemas de pacotilha e à chico esperto para nos derrubar.

Para vossa angústia, o Benfica está aí!

Força Benfica!

1 comentário:

Observador disse...

Quando os jogos são ganhos com dificuldades acrescidas, têm um outro sabor.
Dão cabo do coração mas ... paciência.

Comentadores da TVI?
Esteve lá alguém com esse estatuto?
Waldemar Duarte e Manuel Queiroz?
Ah esses são comentadores? Parecem mais contadores de estórias...